sexta-feira, março 22, 2013

“Lágrimas cessaram”



Quando se escreve com o coração,
As palavras encontram se,
Tudo é verdadeiro,
Tudo é natural.

Descobrimos que nada melhor como o dia após o outro
Para esquecer o que passou.
Aproveitar o presente,
Viver com esperança.

As lágrimas secaram
O dia chegou,
O sorriso nasceu de novo,
E os olhos brilharam.

Hoje ri-se das lágrimas amargas,
Canta com o coração,
E vive a emoção da vida.

Que não seja só agora,
Que não seja apenas,
Que seja sempre,
Que seja eterno.

Porque chorar é até bom!
Limpa o coração,
Mais meu amigo, pare de perde tempo com a solidão.
Só chore de emoção.

A vida passa, e rapido de demais!
Por isso apenas viva!


Panmela Pacheco

segunda-feira, março 18, 2013

“Infeliz Por quê? ”



Eu acho que sou feliz,
Mais feliz não sou,
Acho que estou feliz,
Mais feliz não estou.

Não deveria!
Pois tenho tudo que quero,
Que desejo, que sonho.
Tenho uma linda e grande família,
Amigos, oportunidades.

Mais nenhuma aproveito,
Com minha infelicidade.
Amargura porque me persegue?
Trazendo me sofrimento e muita dor?

Sei que não deveria reclamar,
Muito menos lamentar,
Tenho vida, forte saúde,
Para nesse mundo celebrar.

Mais por quê sou infeliz?
Ou acho que sou?
Por quê tanta infelicidade?
Ou apenas vaidade?
Os dias passam e os dias veem!


E eu? Perco cada oportunidade de vive-las!

Panmela Pacheco

quinta-feira, março 14, 2013

"Chegue logo amanhã"



Cada lágrima que cai,
Cada suspiro que dou,
Cada pensamento sem noção,
Deixa me calada,
Prostrada ao chão.
Eu já tentei esconder através de um sorriso.
Já tentei até mesmo dormi,
Para esta dor não ser lembrada.
Mais é tão forte que consome o meu corpo,
Consome a minha mente,
Atrapalhando meu sono,
Transformando em pesadelos.
Uma dor sem fim,
Sem uma explicação,
Uma alma angustiada,
Chamando a solução.
As lágrimas malhão o chão,
Com o suspiro de dor,
Sofrimento tornando me mais fria.
E o dia não termina.
Será que está dor passa?
Será que a lágrimas seca?
Será que dessa noite passa?
Será que amanhã chega?
O papel, meu desabafo.
Minhas lágrimas, um desenlace.
Cada suspiro, meu alívio.
Será que o tempo passa?
As horas e o tempo veem?
E chegará o sol para secar cada lágrima que meus olhos veio derramar?
E o dia terminará em tempestade?
Que venha um novo dia, com novo brilho do sol.
Novas oportunidades para sonhar,
E acabe logo com essa dor, para minha alma descansar.
Tempo! Passe logo, por favor?
Panmela Pacheco