quarta-feira, fevereiro 29, 2012

Irresoluto em intrepidez


Onde a incerteza e a coragem se debatem sem saber o que fazer...
Sabemos que amar alguém não é difícil, difícil mesmo é nascer esse amor, aprendemos que interesses é passageiros e que um dia olharemos para o passado e diremos:
-Eu queria apenas ser feliz, mas esqueci na ganância da emoção que o dinheiro não trás felicidade!
Preferia ser pobre e viver ao lado de alguém que eu amo;
Assim seria feliz...
Por isso a convicção de estarmos certos nem sempre é convincente, devemos sempre analisar o outro lado da história, ouvir conselhos e ver que nem toda história tem um final feliz, sabemos que com o passar do tempo tudo que hoje damos valor, amanhã já não será interessante, aprendemos esperar, falar na hora cera, escutar e observa que tudo se torna supérfluo sem o amor...
Apreendemos que a coragem não é nada além da incerteza tentando superar o medo, porque ser corajoso não significa ser forte, ter coragem é apenas um ato de valentia, porque no fundo, no fundo vem aquele frio na espinha, aquele gelo na barriga de incerteza do que realmente queremos; vem o medo.
Escolher sempre será a nossa primeira opção, mas fazer a escolha certa será nossa maior dúvida; pois carregamos dentro de nos a incerteza da melhor escolha, apreendemos na triagem da vida que nem tudo é do jeito que a gente quer e nesse ponto de vista que acabamos deixando o medo tomar conta e as grandes amigas fazer parte de nossa vida; a incerteza e a coragem que tudo pode ser sem sentido...

Panmela Pacheco

"A incerteza é uma margarida cujas pétalas nunca acabam de desfolhar"
-- Vargas Llosa

terça-feira, fevereiro 28, 2012

Início



Pensar com a alma,
Agir com os sentimentos,
Sorrir com alegria,
Andar com passos lentos.


Sentir com o coração,
Falar com atitude,
Escrever o que te encoraje.


Enxergar a verdade,
Analisar o que te acontece,
Descobrir coisas novas,
E viver o início de cada dia.


Simplesmente acreditar
Acreditar que tudo pode acontecer,
E saber que nada é para sempre,
Porque para sempre acaba.

Superar limites,
Vencer barreiras,
E descobrir que no final de tudo?
Era apenas mais uma circunstância pra você ser forte!
Mais uma etapa de muitos inícios.


Panmela Pacheco

segunda-feira, fevereiro 06, 2012

Água fria


Fui ao encontro da alegria
Quando ela sorriu para mim.
Mas aproximando de sua amizade
Percebi que era ilusão.

Chorei por uma noite sem entender
Gritei  aos quatro ventos por você
Mas a alegria era passageira
Pois nunca mas a vi.

Ela brilhava como diamante
Parecia pura como uma criança
Mas era mentirosa,
Nada era igual quando se achegava perto.

Não entendia como as palavras
Pareciam forte e verdadeiras
Quando na verdade era tudo um
Banho de Água fria
Panmela Pacheco

sexta-feira, fevereiro 03, 2012

Anestesia


Tempoooooo!
Gritava a emoção com falta de ar,
Assustada pelo que via,
encorajada pelo o que ouvia.
perdia se o ar e ninguém a via...

GRAARRSS....
O estomago murmurava...
O vazio se alojava,
E as paredes estomacais se colavam...
Nesse medo ninguém o ouvia...

Tremulas as pernas se batia contra a outra,
Não era frio, mais batia se os dentes,
Não estava doente, mas o corpo reagia.

Tum Tum... Tum Tum
o coração batia como a bateria da escola de samba.
pulsava se forte parecendo que subia pela garganta,
e com tanta emoção fortemente fechava se os olhos e a abria...

Era sua vez...
Mais do lugar não sai,
Toda hora que lembrava seu corpo reagia.
Não entendia  o que era, não sabia como reagia....

Pobre menina, nenhuma experiência tinha...
Sozinha no seu quarto escuro gritava de agonia.
Queria entender o que havia,
mas não parava o minuto para tentar ser compreendida.

Pobre da menina sentia tudo
Mais o que realmente ela não sabia era o que sentia.
Tudo que ela via era fruto da imaginação,
tudo que ouvia era de seu coração.

Sentia euforia do que vivia,
via o que o futuro lhe trazia,
ouvia o que seu coração dizia,
Estava amando mais nem sabia.

Pobre menininha tão apaixonada que não sabia o que fazia!
Sentia tanto amor, tanta paixão,
Mas assustada se escondia,
Mas mal sabia que ele a correspondia.



Panmela Pacheco