terça-feira, julho 19, 2011

" Talvez seja um poema "




Talvez eu viva em mundinho fútil onde ninguém me vê,
Talvez eu viva uma vida pela qual faça por merecer.
Talvez eu sinta desejos que não pode acontecer.
Talvez eu busque algo, algo que seja impossível.
Talvez eu escreva, talvez...

Talvez nada seja realidade,
Talvez tudo seja um pesadelo,
Talvez eu tenha sentimentos,
Talvez sejam apenas desejos,
Talvez seja eu mesma, talvez...

Talvez essa menina ame de verdade.
Talvez ela seja feliz,
Talvez ela tenha esperança,
Talvez, talvez seja...

Talvez eu já tenha vivido e agora morri,
Talvez eu já estive morta e nasci de novo.
Talvez hoje seja amanhã,
Talvez eu seja louca
Talvez...

Talvez eu seja conhecida,
Talvez eu seja apenas eu.
Talvez eu tenha medo,
Talvez eu tenha vergonha.
Talvez, é talvez...

Talvez eu saiba o que escrevo,
Talvez eu apenas escreva.
Talvez alguém se importe,
Talvez alguém leia.
Talvez faça sentido, talvez!
Talvez...

Panmela Pacheco

quinta-feira, julho 14, 2011

" Contratempo ".


Ilusão seria esperar por algo,
Que jamais irá chegar,
Olhar para frente e respirar fundo
Como se tivesse algo de bom aproximando se.

Ilusão é imaginar esse momento como se fosse o ultimo
Viver contando as horas,
Como se estivesse faltando minutos para que isso acontecesse.

É esperar o que não tem,
É acreditar no que não existe,
É lutar contra si mesmo
É buscar o infinito,
É chorar sem ser preciso,
É matar seu coração,
É viver de ilusão.

Não irá chegar,
Não irás voltar
O tempo já se foi,
A hora já se passou,
O momento é sonhar,
É viver, é acreditar.
Que o presente é melhor
E o futuro Deus dará!

Iludir se não vale a nada,
Você não anda,
Não vives mais...
E só caminhas para trás.

Lembrar do passado é sofrer,
Mais lembrar-se de momentos bons é reviver.
É experiência...

É coragem de lutar pra vencer,
Vencer com classe e ousadia,
Vencer o que te sufoca,
Vencer a vida!
Viver de novo e sonhar um novo dia...



Panmela Pacheco

quinta-feira, julho 07, 2011

O tempo não dá tempo,vamos dar uma volta?





É incrível como o mundo dá voltas, hoje você está aqui, amanhã você estará no mesmo lugar, mais com condições bem diferentes, novos amigos, novos relacionamentos, uma vida estável; claro se você batalhou para isso! Mais a questão é; o mundo dá voltas, onde faz você refletir coisas que jamais antes passaram pela sua cabeça, pessoas que você nunca imaginou ter como amigo, lugares onde você pensou que nunca estaria e loucuras que nunca passaram pela sua cabeça um dia, mais a vida é assim, cheia de surpressas, e como nos surpreendemos com nossas atitudes, gestos, olhares e palavras; São detalhes que muita das vezes pode não ter significado algum, mais que valem muito, pois estamos falando da nossa vida. O tempo nos ensina a crescer, a ver o mundo de varias formas e maneiras diferentes, ensina-nos novas palavras, apresentam pessoas que deixam seus rastros, pessoas eternas e novas oportunidades, o tempo nos ensina a viver com as pedradas, a amadurecer com as conseqüências e a viver com tolerância. Essa volta toda que a vida nos leva a percorrer faz nos voltar ao passado e observa como o mundo é pequeno e como as coisas mudam sem você muito se mover, hoje você é maduro, responsável e criativo, ontem você era apenas uma criança tentando aparecer para o mundo, tentando loucuras para ser visto na sociedade, correndo quilômetros para vencer a distancia, acelerando o tempo para não ver a os dias passarem, escondendo o sorriso para que não percebam que você é feliz assim do jeito que esta, mas enfim a vida muda, você cresce e tudo cresce com você! O tempo não para e você continua a conquistar seu espaço e cada degrau de vitória,  você analisa uma construção para uma nova etapa, a vida é assim, você encontra velhos amigos, velhos amores e verá que quem faz o mundo girar é você, e quem muda seu destino é você! Então vamos dar volta ao mundo, porque o mundo dá voltas...


“... É preciso coragem para crescer e tonar-se o que você realmente é...” (E.E Cumming)

Panmela Pacheco

segunda-feira, julho 04, 2011

" Exprimir, Silêncio... "


Espada Flamejante
Cortante como féu,
Derrama lagrima, e arranca sangue escaldante,
É algo Inexplicável,
Sem condição ou ação.

Não é amor
Não é paixão,
É a grande decepção de um insensato coração,
Que aprende a dizer o que quer,
Mas não perde o medo de dizer o sente.

Ou diz adeus,
 Ou ele dirá adeus por você!

Pois...
O silêncio é o grito mais alto,
Dói no fundo da alma,
Machuca como a espada,
Fere como uma tapa na cara.

Melhor é,
Ouvir som de uma voz,
Sentir uma tapa e morrer a espada.
Do que ter o silêncio

Porque ter o que queremos tão perto,
Mais em tempos tão longe,
Bastaria apenas uma palavra,
E o silêncio acabaria...

Mas a espada já matou,
O que lhe matava.

Silêncio...

Panmela Pacheco