sexta-feira, maio 18, 2012

Fim da tarde tente sonhar...



Fim da tarde, e começa tudo outra vez...
As mesmas palavras,
As mesmas reclamações,
As mesmas atitudes,
e nada muda.

O que intristece- me não é ouvir, mais...
É saber que nada disso vai mudar,
Os dias irão passar,
As noites virão,
As chuvas molharam meu rosto,
Esconderão minhas lagrimas.

Por fora uma enusitavel beleza,
Sorriso de orelha a orelha,
Mais por dentro a dor,
As lagrimas correm
Os suspiros forte fadigado,
cansado! Cansado dessa mesmice.

Quem saiba eu tenha que mudar,
E deixar de acreditar na perfeição,
Sei, que nada é perfeito.
Mas nas entre linhas descobrimos o caráter.
Talvez, eu deveria deixar de acreditar,
Ou acreditar, para não mais chorar.
Noites de frio, dias de chuva,
 E o sol a brilhar,
Mais para mim nublado está.

Começa tudo de novo,
A agonia predomina em meu peito,
Como raízes forte se alastrando,
Destruindo tudo a sua volta.
Quem vê essa árvore bonita,
Cheia de frutos, não sabe como por dentro esta,
Cheia de feridas, e bichos imundos.
Entendam o que querer entender,
Mais, a alegria ela toma, mais ao final do dia ela sempre moribunda.
Árvore infeliz, árvore sem vida, é a vida de quem vive sem motivos a esse mundo.

Fim de tarde, e mais nada quero,
A não ser ver o sol nascer de novo,
E esquecer-se dos pesadelos.

E sonhar com lugar onde poderei brotar,
Dar flores de verdade,
Ver o sol tão brilhante e dias sem chuvas.
E pode acreditar, que tudo isso vai passar,
No dia seguinte quando eu me levantar.


Panmela Pacheco

terça-feira, maio 15, 2012

Indiferença




Até ontem você pra mim era invisível.
Mal sabia seu nome,
Nem mesmo a sua função.

Ontem não fazia diferença,
sua cor, ou sua religião.

Hoje, sinto falta de você no meu dia- a dia.
Sinto falta do seu sorriso,
Sinto falta do seu olhar.

Sei que talvez, nunca seja correspondida
com o mesmo olhar.
Com o mesmo sorriso.

Sei que hoje penso mais,
Analiso mais sobre nos dois.
Mais confesso que se pudesse voltaria ao ontem.

Porque assim o hoje, não faria mais sentindo.
Porque o hoje dói.
E pra recuar, não dá mais.

Vou viver com meus sentimentos escondidos,
porque um dia quem sabe, possa ser ouvido,
Ou, até mesmo compreendido.

Panmela Pacheco

quinta-feira, maio 10, 2012

Desabafo




Queria colocar no papel tudo que passa aqui dentro...
Minha mente parece um vulcão entrando em erupção, são perguntas que não se cala, são atitudes que me deixa confusa, são momentos que não consigo lembrar, são  letras de musicas que disparo a cantar, canto como se estivesse sentindo as, mas, percebo que não passa de melodias, porque não tenho por quem senti, pra quem senti las. Me pego sorrindo de  lembranças que não volta mais, chorando sem saber o porque, as vezes me sinto madura de mais, criança de mais e as vezes não sinto nada. Há momentos que procuro saída, corro da vida, e às vezes vivo a vida, procuro pessoas mais velhas, talvez para saber se me entendem,  mais percebo que tão pouco consegue assimilar o que falo, talvez, eu não saiba me expressar nas palavras, ou  , elas sabem as respostas e preferem que eu as viva. Sei que a vida é pra ser vivida, mais procuro atalhos para algumas saídas, errada? Talvez sim, mais procurando evitar as feridas. O incrível, é que quando procuramos resposta, vem somente às perguntas, e quando as perguntas têm resposta, perdem a graça, vem a dúvida, a aflição, a incerteza toma conta, e começa tudo de novo a vontade de pegar o papel e a caneta;e desabafar, não para que as pessoas entenda, mais simplesmente para tirar as palavras cravadas na mente e no coração.


“Cada pessoa tem uma certa paixão, paixão por música,  por livros, animais, flores, carros,  mas e eu,  simplesmente sou apaixonada por escrever”.

Panmela Pacheco

quinta-feira, maio 03, 2012

Hoje




Aprendi viver hoje,
Lembrar das coisas boas do passado,
E não planejar o futuro,
Mas sim, deixar acontecer...

Aprendi que hoje é hoje
E amanhã?
E outro dia...

Aprendi que vale a pena tentar o hoje.
Sonhar hoje.
Viver hoje.
Amar hoje.
Conquistar hoje.
Porque amanhã?

Aprendi que as sementes de ontem,
são as flores de hoje.
Que tudo passa mais volta quando é pra ser seu.

Aprendi amar.
Perdoa e dá o perdão,
Chorar para limpar o coração.
Viver na emoção e jamais deixar o hoje se tornar preocupação.
Aprendi colocar para fora o que me sufoca.

Aprendi hoje,
Aprendi sobre o amanhã...
Aprendi viver a vida,
Aprendi ser assim.
Hoje, eu aprendi...
Panmela Pacheco