segunda-feira, outubro 22, 2012

"Atitudes não dizem quem você é!"






Chorar não significa uma perda,
Renunciar não significa que você ama…
Abraço apertado não significa carinho.
Sorriso não significa alegria.

Choramos também de alegria,
Renunciamos quando se é preciso deixar de lado
o que também pode nos prejudicar.
Há abraços maliciosos, traiçoeiros e de amizades.
O sorriso tem seus significados.
O olhar fala mais que palavras,
As palavras as vezes torna se inútil,
As atitudes convencem,
Mais as palavras fere,
Fere, ao se perderem no tempo.

Tudo que vivemos,
Falamos, olhamos ou agimos,
Tem pontos de vista
 diferente,
O céu pode hoje estar azul pra uns,
Mais acinzentado para outros.

Cada um enxerga o mundo como quer,
Por isso, não julgue ninguém pelas suas atitudes,
Pois cada uma delas tem seu motivo para serem como são!
Panmela Pacheco

sexta-feira, outubro 19, 2012

"Parada no Tempo"



Tenho tantas palavras para expressar,
Mais as palavras não consigo liberar,
É a vontade de gritar que me sufoca,
As lagrimas correm, fazendo -me parar.
 As palavras saem sem rimas,
Sem emoção, sem citação,
Talvez por não me liberar,
Ou achar que é somente uma expressão.

Sabe quando você tem muito para dizer?
Mas nada consegue a não ser parar no pensamento?
Sabe Aquela vontade de gritas?
Mas não quer que ninguém escute?

Parada no tempo eu vou seguindo,
Sem rumo, sem chão…
Pensando na vida, num passo,
Quem sabe naquela decpção
Não sei dizer,
Nem mesmo falar, ao menos me expressar.

Apenas choro,
Canto em pensamento,
Olho para céu e paraliso meus pensamentos…
É, parada no tempo!


Panmela Pacheco

terça-feira, outubro 16, 2012

Diga !




E toda vez que ouço aquela musica  volto no tempo,
volto a alguns anos onde minha pequena casa era enorme,
Meu pequeno quintal era um enorme jardim,
A minha rua tinha um morro sem fim,
E ao dormi parecia que a noite tinha uma semana...

Onde tudo era tão simples,
E com um sorriso conquistava o infinito das cores,
Meu céu era tão azul,
Meu sol brilhava mais que o ouro,
E tudo era tão engraçado.

 Lembro de coisas como se fosse hoje...
Das brincadeiras de rua,
Das paixões não correspondida,
Das vezes que chorei escondido para que ninguém percebe,
E das vezes que fiz birra para chamar a atenção,
Das artes, das criações e dos pensamentos escondidos.

Fecho os olhos  e viajo nas lembranças,
De onde o medo era maior que a coragem,
As palavras não existiam,
E meus pensamento era só pensamentos.

Hoje ao ouvir essa música vejo quanta coisa boa aconteceu,
Mais que poderia ser melhor ainda se falasse tudo que eu queria dizer,
Sem medo das reações das pessoas,
Sem medo das conseqüências...

Por isso hoje digo o que tenho que dizer,
E aproveito cada minuto ao lado de quem amo,
Porque a vida é passageira e depois poderá ser tarde demais para se lamentar,
 E apenas viver as lembranças e talvez questionar.
Eu poderia mudar!

Então diga o que tem pra dizer...


Panmela Pacheco



segunda-feira, outubro 01, 2012

Mala de Honra





É preciso confiar em você mesmo,
Não desistir de lutar,
Segui em frente sem olhar para trás.

A frente segue um caminho chamado esperança.
A cima de tudo um Deus,
Que segura em suas mãos.

E atrás lembranças de um passado,
Que não deve lembrar com tristeza,
Mas sim, com honra,
Porque a vida lhe ensinou a conquistar,
A lutar!

Por isso confie, acredite,
E tudo que trás na mala da vida,
Use as para não errar mais,
Porque as experiências são para sobreviver a novas que virão.

Panmela Pacheco