quarta-feira, maio 27, 2015

Uma História, uma data, um dia, uma hora, um amor



Era sexta-feira treze,
Quando ele sem perceber,
Deixou de perceber o que tinha que perceber.

Talvez o seu dia foi carregado,
Ou o aniversário de sua filha o preocupou ,
talvez o presente  dela tirou sua atenção.

O dia passou a noite chegou,
Talvez se lembrasse, mais de lado ficou.
Celular descarregou, mais por não o carregou?

E uma dúvida no coração dela plantou...
Mais a ela um poema ele recitou.

Segunda, não tenho planos,
Terça, acho que te amo,
Quarta, não te vejo,
Quinta, te desejo,
Sexta, te quero,
Sábado, te espero.
Domingo, foi um sonho.

Ela de canto se encolheu,
Seu coração entristeceu,
A voz se calou,
A lagrima rolou.

Era pra ter sido diferente,
Mas suas palavras não a convencerão.
E mais uma vez ela fecho seu coração.
E ela o deixou...

Nem explicações a convenceram,
Nem a lagrima a comoveu,
Talvez ele a amasse demais,
Mais um uma falha perdeu esse seu amor.


Triste ambos ficaram,
Ela por não conseguir continuar,
Ele por não aceitar.
Aceitar um perdão sem volta,
Uma chance não dada.

Panmela Pacheco

Nenhum comentário:

Postar um comentário