segunda-feira, junho 27, 2011

"Nem tudo que parece, é!




“Estava lendo um livro infantil- A pequena vendedora de fósforo” a qual não teve sentido nenhum a historia para mim...



A historia dizia que uma pequena menina vendia fósforo em fim de tarde de natal, e ali ninguém dava confiança pra ela, quando uma carruagem a atropelou mandando-a para o outro lado da rua, ela perderá seus sapatos, e um menino que passava na rua naquele momento pegou seus sapatos e saiu correndo gritando, que legal! E ela triste riscou um fósforo, e viu muito doces e maravilhosas coisas de natal, ela fora comer, mais aquela coisas gostosas que estava vendo na sua frente sumira junto com o fogo do fósforo que se apagava, percebendo que a cada fósforo que ela riscava ela via aquelas coisas, ela começou acender os fósforos, nesta chama viu sua avó que já estava morta lhe chamando, então acendeu todos os fósforos e segurou nas mãos de sua avó e fora com ela  para lugar lindo, para o paraíso.



Você entendeu? Moral da historia?



Então vamos lá, essa historia poderia ser bem mais emocionante se o autor incrementasse, e fizesse dos fósforos uma magia e da historia uma alegria para quem também esta lendo, a historia termina com a menina morta certo? Sentido da historia?

Nem todo o livro infatins precisa ser com finais felizes para sempre?

Errado! A historia não tem sentido nenhum, a menina vender fósforo, e depois morrer? E o que tem haver as pessoas não ligarem para ela? O que tem haver o menino roubar seus sapatos? Ta que estamos em um mundo de egoísmo, onde as pessoas olham para seu próprio umbigo, mas o que leva alguém escrever isso?



Talvez para mim e para outros leitores não tenham sentindo algum alguém vender fósforo e morrer, até mesmo não tenha sentido entender o porquê o autor tenha escrito isso sem magia, sem querer chamar atenção...

ok?

As vezes julgamos o livro pela capa, como diz o velho ditado, e esquecemos de analisar o conteúdo dele, legal ! Mas onde estou querendo chegar?? É fazer você refletir que nem todas as coisas escritas ou desenhadas por outras pessoas precisam ter um significado para nós, basta ter um significados a eles e pronto, porque escrever o que sentimos, desenhar o que pensamos, por no papel a nossa vida de forma que só nos mesmo entendemos, isso sim é ser um autor, sem medo de dizer o que sente, e ao mesmo tempo ocultando o que passa em seus pensamento, fazendo o leitor ver algo, imaginar outro e o sentido ser outro, porque na realidades ninguém entende, vê e sente as coisas igual a todo mundo, cada um tem sua forma de ver, de sentir , cada um tem suas criticas e suas criatividades com as palavras e desenhos certo!?



Por isso julgar alguém pelos seus atos não é legal! Avalie primeiro o que passou na cabeça da pessoa antes tomar qualquer atitude! Porque nem sempre a capa mostrará a qualidade do livro, e nem sempre as ações significarão realmente o que sentimos!



Pense nisso!





Panmela Pacheco

Nenhum comentário:

Postar um comentário