domingo, outubro 16, 2011

Amor de Criança


O amor bateu na minha porta,
Eu corri! Não quis o encontrar.
Estou cansada da mesmice;
Agora é hora de acorda!

Ele diz que me ama,
Eu quieta nem respondi
Meu amor era o mesmo,
Mas preferi era fingir.

Pulou em minha frente,
No susto eu gritei...
Disse com todas as palavras;
Vá! E perca se por ai...

O amor? Perdeu se.
Perdeu-se de mim...
Chorei demais; mais não me arrependi!
Foi bom, pelo menos para mim...
Porque chorei uma vez,
Para não chorar nunca mais.

Amor de criança é assim,
Fala sem pensar,
Age sem pensar,
Mais tudo que diz é de coração.

08/12/05

Panmela Pacheco

Nenhum comentário:

Postar um comentário