quinta-feira, julho 12, 2012

"Jardim Secreto"




É intenso, forte,
As vezes relativo,
As vezes expectativo...

A entrada no jardim...
Não se enxerga  nada,
É como andar de olhos vedados,
Só se vê em pensamentos a consequência de um passado.

A consciência paralisa, formando se novas palavras,
Parada no  mesmo lugar,
Sem força e sem como caminhar...
Só se sente os odores das flores murchas.

Sente o frio na pele,
Como se estive no inverno,
Mais sabe que o sol brilha lá fora,
Só é preciso enxergar !

É preciso sair desse jardim,
Caminhar sem medo de errar,
Tropeçar, e levantar!
Sentir as dores, mais continuar!

Tudo tem um preço a ser pago,
Caminhar sobre espinhos foi uma escolha...
Entrar nesse jardim escuro, foi uma escolha.

Mais para desencargo,
É preciso conferir, refletir...
Tentar sair, e prosseguir.
A caminhada pode ser dolorosa,
Pois foi feita uma escolha,
Sendo,  que no mundo fora daqui á milhares de pessoas, livres.

Elas fizeram a escolha certa,
Procuraram por caminhos e pessoas certas,
O jardim é assim mesmo,
Te deixa confuso, e as vezes inconsciente.
Mais quem mandou entrar nele?

Agora é tarde,
Só resta caminhar...
Venha comigo, segure em minha mão..
Desse jardim tenebroso,
Os pensamentos bons te guiará a uma saída.

Panmela Pacheco

Um comentário: